Entenda os benefícios de se cometer erros

Erros nos mostram exatamente o que precisa ser melhorado naquilo que estamos fazendo. Sem erros, como saber no que precisamos continuar trabalhando e nos aprimorando?

Os benefícios de se cometer erros

Certamente, você já ouviu falar de Thomas Edison – após mil tentativas malsucedidas, ele finalmente conseguiu inventar a lâmpada e quando lhe perguntavam – “o que significou para você, falhar mil vezes? –  ele prontamente respondia: não foram falhas,  a lâmpada foi inventada, através de mil e uma etapas. Sensacional pensar assim!

Quando precisamos de várias tentativas para alcançar um resultado, a nossa tendência é colocar o foco no erro e vemos a falha como se fosse incompetência, limitação, falta de inteligência ou inferioridade.  De fato no dicionário a palavra  ERRAR, nos direciona a acreditar nesta comparação – é o que está imperfeito ou mal feito e que resulta da má compreensão ou de uma análise deficiente – Pois bem, estamos aqui falando do lado bom de errar. Tem um ditado que diz: só erra quem faz e quem se arrisca. Já escutei também: se você está cometendo menos de  50 erros por dia, não está se esforçando o suficiente.

Se é assim, então porque sofremos tanto quando erramos?

Talvez tenhamos sido muito repreendidos na infância pelos nossos pais que eram como deuses para nós, e apesar do tempo já ter passado, ainda temos bem presentes esses momentos de reprovações e julgamentos; inconscientemente, podemos evitar aprender coisas novas com medo dos julgamentos. E,  para reforçar este sentimento, nosso sistema educacional tradicional, cobra que nossas crianças tirem boas notas para provar que são inteligentes e, se elas não conseguem acompanhar o ritmo da turma, ela será cobrada e associará o erro a algo ruim.

Também pode acontecer que quando já adultos, nós tenhamos uma tendência a medir o nosso valor pela posição que ocupamos, ou pela profissão que exercemos; pensar que somos mais valiosos se tivermos mais dinheiro ou um cargo importante.

Se conseguirmos ultrapassar esse comportamento de desvalorização, podemos cometer e assumir nossos erros com mais tranquilidade, e assim seguir em frente, certos e seguros de que estamos num bom caminho.

Os erros na verdade, são um grande auxílio ao nosso aprendizado porque nos indicam um feedback de que algo precisa ser revisto e que precisamos fazer novas escolhas.  No geral, parecemos evitar situações nas quais podemos errar e com frequência, negamos e defendemos os erros que cometemos e  até construímos uma fachada de perfeição numa tentativa  fútil de provar nosso valor.

Assumir nossa responsabilidade é uma grande chave – é mais simples e muito mais efetivo. Quando assumimos as consequências e aceitamos que errar faz parte do crescimento e que os erros nos permitem aprender, me deixa saber que em cada tentativa posso fazer melhor  e então o objetivo torna-se a excelência e não a perfeição.

Por exemplo, quando assistimos um filme que nos transmite alegria, felicidade e emoção e tudo parece perfeito,  paramos para pensar quantas tomadas foram necessárias para gravar uma única cena? Provavelmente muitas… porque então nós, ainda temos tanta dificuldade em aceitar, que “errar faz parte do jogo” e que isso não tira o valor de quem somos; muito pelo contrário, nos indica que estamos nos expandindo, que estamos Aprendendo, Crescendo e Avançando.

Verdade que necessito estar aberto em aceitar que errar faz parte do processo. Não vai funcionar se entrarmos em julgamentos ou ficarmos nos depreciando. Podemos fazer deste, um processo  simples e prazeroso se escolhermos aceitar e fluir.

Quanto mais erros cometermos, mais distante da zona de conforto nos encontramos e, este é um ótimo indicativo de que estou em pleno aprimoramento.

Segundo James Joyce – Os erros são os portais da descoberta. Eles me instigam a fazer diferente e a buscar um novo olhar para a cada tarefa ou desafio.

Quantos ERROS você já cometeu hoje?