Como o feedback pode impactar sua vida?

“Gostaria de dar um feedback para você.”

Dependendo da situação ou de quem diz essa frase, ela provoca reações diversas em nós. Às vezes é uma reação de desconforto e um pensamento “ai meu Deus, lá vem bomba”. Ou uma reação de indiferença: “Ih, lá vem abobrinha”. Ou de rejeição: “Não quero saber!” Ou, talvez, de ansiedade: “O que será que essa pessoa vai me falar?”

 

Se considerarmos o feedback como uma simples informação, nossa reação poderia ser de simples receptividade: “Fala que eu te escuto”. Porque independentemente de ser uma crítica ou elogio, de ter tudo a ver ou nada a ver, de concordarmos ou não, o comentário do outro é uma informação de como ele percebe nossas atitudes. Podemos receber essa informação sem prejulgá-la, analisá-la e concluir se ela nos serve.

 

Eu sei, não é tão simples assim…. Porque afinal todos temos um ego que é defensivo por natureza. Nossas reações de desconforto, indiferença, rejeição ou ansiedade se devem ao receio do ego de que lhe apontem uma falha. Antes que o outro consiga abrir a boca para dar o feedback, o ego já está imaginando mil coisas. Quando então a pessoa começa a falar e percebemos que é um feedback do tipo “corretivo”, ele trata rapidamente de pensar em  justificativas ou respostas para o que a pessoa diz. Agindo assim, o ego não ouve direito, não permite o aprofundamento da conversa nem tira proveito das informações para refletir depois.

 

Mas como eu ia dizendo, se consideramos o feedback como simples informação, podemos ouvir com atenção, fazer perguntas para compreender melhor, agradecer e refletir. De repente, a informação é mesmo útil, desperta nossa atenção para algo que não estávamos percebendo, permite uma correção de rota.

 

Esse é o lado bom de receber feedback. E o lado ruim?, você talve esteja perguntando. Bem, se consideramos o feedback como simples informação, não há lado ruim. Mesmo que a informação não lhe sirva, você não perdeu nada – nem tempo, pois ouvir o outro é sempre uma atitude de consideração e respeito.

 

 

Regina Giannetti D. Pereira

Coach para o desenvolvimento pessoal especializada em mindfulness